Festa dos professores 2013 - Parte 1

19/10/2013

Boa noite!

Sejam bem-vindos a este ambiente aconchegante bem a cara do nosso Brasil. Estamos aqui reunidos para comemorar um momento especial na história do Farias Brito, na realidade, na história de cada um de nós que compõe esta grande família. Num momento como este, as emoções se misturam a sentimentos de missão cumprida, orgulho de ser educador, orgulho de ser brasileiro.

Em meio a tanta brasilidade, dá até pra gente pensar “Quem não gosta de samba bom sujeito não é, é ruim da cabeça ou doente do pé” – como dizia Dorival Caymmi na música Samba da Minha Terra. A canção de Caymmi retrata o sentimento nacional diante desse ritmo encantador que é o samba brasileiro.

No mosaico que compõe a nossa identidade cultural, nada é tão contagiante quanto a música herdada dos escravos nos batuques. Mas, “batuque na cozinha / sinhá não quer / por causa do batuque / eu queimei meu pé”.

Da senzala para a memória afetiva de todos os brasileiros. Quem não tem um samba preferido? Ou, ao menos, não cantarolou junto com Cartola ou Noel Rosa? Ou, ao ouvir versos que falam de amor, de liberdade, não se sentiu como Wilson Moreira: eu fui condenado / sem merecimento / por um sentimento / por uma paixão / violenta emoção / pois amar foi meu delito / mas foi um sonho tão bonito / hoje estou no fim / Senhora Liberdade / abre as asas sobre mim...

Nesta noite – que está só começando – para celebrar o Dia do Professor e por sua importância na formação de nosso povo, escolhemos exaltar o sentimento de brasilidade traduzido por Sua Majestade, o SAMBA.

Há samba para todos os gostos. Há samba para todas as histórias. Das Marchinhas de Carnaval à Aquarela do Brasil, de Ary Barroso, clássico samba-exaltação da nossa terra e da nossa gente. Tem Samba de Breque, Samba de Gafieira, Samba de Partido Alto e Samba Canção.

No Farias Brito, há histórias que dariam verdadeiros sambas. Algumas já duram 10 anos. São Marchinhas, não menos importantes por serem menores que as de 20 anos de dedicação. Essas são como um Samba Canção. Mas temos histórias com mais de 30 e 40 anos de Farias Brito. Para retratá-las só mesmo um Samba Enredo e a grandiosidade dos desfiles das Escolas de Samba.

Parabenizamos  nossos professores e Equipe Técnica que completam em 2013, 10, 20, 30 e 40 anos de Farias Brito.

A escola é o lugar que reúne muitos talentos e onde se trabalha com muito amor. Nossa escola não é de samba, mas aqui só tem gente bamba. Gente que deixa muita saudade nos corações dos nossos alunos...       

Amanhã o “poetinha” completaria 100 anos. Ele também deixou saudades. Seu legado está na poesia, na música, em muitos sambas que ajudou a criar.

 Imortalizou-se por sua obra.

O Farias Brito também tem o seu imortal, eleito para a Academia Cearense de Letras pela beleza e pela profundidade dos textos de sua autoria. Para nós, ele já era imortal e seu legado está nas quatro décadas que tem dedicado ao FB. Referência de mestre para muitas gerações, ele se apresenta sempre com a humildade própria dos sábios, um sorriso cordial e um aperto de mão.

Nosso querido professor GENUÍNO SALES, este ano, completa 40 anos de serviços prestados à Organização Educacional Farias Brito.

Nosso grande mestre, todos que o conhecem e conheceram têm prazer em honrá-lo de pé. São 40 anos de lealdade, honradez, sabedoria, paciência, conhecimento, superação e simplicidade. Aprendemos todo tempo com suas palavras, mas seu exemplo é o ponto forte da nossa relação de amor.

Amor! É isso que sentimos por você, nosso TALENTO GENUÍNO!

Tem gente que sabe sambar com o pé. Tem gente que batuca o samba com a mão. Tem gente que marca o ritmo do samba com as batidas do coração.

Não importa o jeito de cada um, o que desejamos aos nossos mestres e educadores é que sejam felizes, porque eles merecem. Eles são os intérpretes competentes da vida que traduzem na sala de aula.

Por isso, ficam na lembrança de seus alunos como uma música boa que a gente não esquece.

E, mesmo sendo mestre, “não tem a vergonha de ser feliz / de cantar e cantar e cantar a beleza de ser um eterno aprendiz / eu sei que a vida devia ser bem melhor e será / mas isso não impede que eu repita / ESSA PROFISSÃO é bonita, é bonita e é bonita”

                                

Boa festa, boa noite!