Arthur

Pode soar um clichê, mas quando Arthur nasceu, eu nasci como mãe. Lembro que eu não parava de dizer o quanto ele era lindo. Realmente surge de repente um amor incapaz de ser descrito, mas também observei um certo temor: o de que nunca, jamais, algo ruim deva acontecer com ele.
As primeiras semanas foram passando e o carinho e dedicação da minha nova tarefa necessitavam ser incansáveis. Mas o cansaço é algo que foge do nosso domínio. Sempre me acostumei a resolver tudo sozinha, mas quando meu pequeno nasceu, percebi o quão valiosa era a ajuda de outras pessoas, parentes e amigos.
A decisão de colocar Arthur no FB Baby foi muito tranquila para mim. Eu necessitava de tempo livre para meus afazeres pessoais e havia estudado minha vida inteira no Farias Brito. Confiava plenamente nessa instituição de ensino. E só a alguém que se confia tanto se entrega o amor da sua vida. Porém, mesmo tendo excelentes referências, a creche me surpreendeu ainda positivamente. Além da estrutura física maravilhosa, o corpo humano do berçário é fantástico. Eu realmente fiquei/fico muito feliz todos os dias quando entrego Arthur para suas “tiinhas”. Salta os olhos o carinho enorme que elas possuem não só por ele. E como prestam atenção em cada detalhe! Um “olhar de mãe” o acompanha em todos os seus momentos na creche, nas brincadeiras no soninho, na alimentação, no banho. As tias observam até as características que pensava ser a única que percebia. Adorei essa forma minuciosa de cuidar do Arthur, com dedicação e carinho constantes.
Só falta mais uma semana para o término do período letivo. É com muita saudade que nós nos despedimos das “mamães” FB” do Arthur, mas também queremos agradecer pela evolução dele e por todo esse amor que as “tiinhas” demonstraram em cada tarde que ele desfrutou no berçário. Obrigada!

12/12/2014

Camila Pinheiro - Mãe do FB Baby I Seis Bocas

Arthur