Marcelo Fontenelle de Vasconcelos

 

Quando indagados sobre o que desejamos para a vida de nossos filhos, somos unânimes em dizer que queremos que sejam felizes. Por esta razão, chegamos à conclusão que se colocamos os filhos no mundo, é responsabilidade nossa, lutar pelo seu bem-estar.

Não nos restam dúvidas de que a felicidade, primeira inclinação do homem e para a qual se dirigem todos os seus esforços, qualquer que seja a sua crença ou ideologia, é algo que está dentro de nós. Assim, devemos ensinar nossos filhos a pensar sobre eles próprios, sobre os seus sentimentos, sua capacidade de agir, para que possam crescer, expandindo uma mente saudável e inteligente, desenvolvendo um autoconceito positivo a fim de que façam suas escolhas conscientemente.

Todos hão de concordar que uma boa educação escolar, uma herança fortemente aliada a nossa vida, é capaz de otimizar nossa felicidade. Dificuldades enfrentadas durante a infância podem marcar a vida para sempre.

Cediço é que além do seio familiar, é no terreno da Escola que nossos filhos aprendem a pensar sobre si mesmos, a praticar o autoconhecimento, sendo imprescindível  que a escola adote uma atitude de acolhimento individual, para que eles se sintam confiantes, motivados, seguros, e possam trilhar os caminhos da vida e se sentir bem consigo e com os outros. Quanto mais positivas forem as experiências dos nossos filhos com a própria família e com a escola, maior será a possibilidade de se sentirem felizes.

Motivados pela busca da felicidade para nosso filho Marcelo, foi que tivemos a sorte de conhecer, em meados deste ano, o Colégio Farias Brito Sobralense e sua comprometida equipe de profissionais.

Não satisfeitos com o processo de ensino-aprendizagem do colégio em que nosso filho Marcelo anteriormente estudava, aliado à absoluta falta de diálogo e um entendimento que levasse à solução do problema, e diante do preocupante quadro emocional que ele se encontrava, extremando-se para uma atitude negativa diante de sua autoestima, já que a escola atribuía ao mesmo o seu “fracasso escolar”, chegamos à conclusão, como pais responsáveis, que precisávamos inseri-lo em uma instituição de ensino que, além de explorar os conteúdos didáticos, tivesse uma postura protetora e primasse pela sua felicidade, na perspectiva de sua vida. 

Fizemos nossa escolha e, após passarmos por um processo de conhecimento e avaliação personalizado, o Colégio Farias Brito nos acolheu na metade do período letivo deste ano.

Ficamos muito esperançosos, mas um tanto receosos, uma vez que nosso filho se encontrava emocionalmente fragilizado, e não tínhamos certeza se ele conseguiria superar suas dificuldades em tão pouco tempo; afinal ele estava com um déficit de aprendizagem visível, e iria ingressar em um processo que se encontrava em curso, num grupo que já estava formado e consolidado, onde tudo e todos eram estranhos para ele. Tudo poderia acontecer.

O resultado foi surpreendente.

Estamos impressionados com o desempenho escolar e com a transformação positiva no comportamento do nosso filho. Ver o brilho em seus olhos quando chega à Escola, quando fala do seu dia a dia, dos colegas, da professora Neily que o acolhe com carinho e firmeza, de como se sente inteligente, de como gosta de estudar e de aprender é o que nos mostra o quanto ele é feliz por fazer parte do Colégio Farias Brito.

Parabenizamos o Colégio Farias Brito pelo empenho e dedicação no trabalho educacional realizado. E por toda a equipe que sempre de braços abertos nos recebeu e foi capaz de ensinar valores e criar um ambiente de confiança trazendo a felicidade para o nosso filho Marcelo e que nos fez entender, sem dúvida, o verdadeiro sentido de ser de uma Escola.

 

Joyce Sampaio Bezerril Fontenelle (Juíza de Direito) e Roberto Rabelo de Vasconcelos (Analista de Sistemas) Pais do aluno Marcelo Fontenelle de Vasconcelos

Marcelo Fontenelle de Vasconcelos
1.º Ano do Ensino Fundamental I - Colégio Farias Brito Sobralense